"Confesso que não adorava o nome 'Só Visto'. Nunca adorei"
Ivo Geraldes
06.JAN.2016

Sílvia Alberto está há nove anos na RTP1. Apresenta o magazine Sociedade Recreativa, anteriormente conhecido comoVisto!, e ainda pode ser vista no talk show, Treze.

O Treze voltou a trazê-la para o horário nobre da RTP1. Está contente com o programa?

O Treze foi um projeto em construção, em constante evolução. Como era um projeto de autor, não um formato internacional testado, fizemos ajustes semana após semana. Inicialmente, por exemplo, tínhamos um painel fixo de comentadores, que fomos alterando. Gostei bastante de fazer o Treze. Foi um desafio constante todas as semanas porque me obrigou a fazer uma pesquisa constante e a documentar-me bem nos assuntos.

Li numa entrevista que gosta de fazer programas que a desenvolvam intelectualmente. Este encheu-lhe as medidas a esse nível?

Sim, obviamente que o formato incita a isso mas não perdendo o entretenimento, o que é muito importante. O conhecimento não tem que ser uma coisa entediante nem chata, pode ser leve e despretensioso. Se o projeto for só de entretenimento também é válido.

Como já referiu o programa tem tido mudanças todas as semanas, nomeadamente as mudanças no painel de comentadores, as alterações gráficas e a presença de mais humor. Considera que fez sentido estrear o programa ainda com tanta coisa por melhorar?

Claro que sim. O formato estreou-se de acordo com o que estava previsto acontecer, mas sabíamos que poderíamos ter de fazer alterações. Sentiu-se mesmo falta de introduzir alguns elementos mais disruptivos e que aliviassem a conversa. E também porque somos pessoas que temos uma mente aberta, a produtora esteve sempre disponível e recetiva aos comentários que ouvia de fora. Pior é quando não se ouve e se continua exatamente no mesmo caminho. Isso é que seria uma grande tolice e revelaria pouca inteligência.

O Só Visto deu lugar à Sociedade Recreativa. Porquê esta mudança de nome quando o programa se mantém igual?

Foi uma mera operação estética. Não só na imagem do formato como depois também recebemos novas repórteres. Confesso que não adorava o nome Só Visto, nunca adorei. Foi um nome herdado. Era um projeto novo, com uma apresentadora diferente, uma produtora diferente, mas na altura a direção achou por bem manter essa herança até por uma questão de familiaridade que entendi.

E deste novo nome já gosta?

Deixo a minha nota, é um nome muito longo e mais não digo (risos). Já está a ficar Sociedade como é óbvio. Era um nome bem-disposto e a remeter para os sítios onde as pessoas se encontravam nos anos 60, no fim de um dia de trabalho, para confraternizar.

comentários